terça-feira, 7 de outubro de 2008

TALVEZ...


Olá !!!Devido as semanas de provas na faculdade,fiquei duas semanas sem postar,tenho textos de minha autoria para colocar entretanto o texto de hoje não é meu.A postagem de hoje é um texto que me interessou muito.Achei que era a cara do blog e a autora desse texto,tem um espirito de nau das lamentações.Espero que ele agrade a todos assim como ele me foi agradavel.Boa semana a todos.


Talvez, não vou mais tentar ser feliz em vão.

Talvez, me resta agora só a solidão.

Talvez, tudo já esteja fora do meu alcance.

Não quer me ver chorar?- não corresponda mais o meu olhar,

Isso me faz criar esperança.

Talvez, um dia você olhe para o céu, e não consiga mais ver as estrelas e nem a lua.

Pois talvez, elas não cansaram de brilhar pra você,

Tentando mostrar como era profundo meu olhar

Mas tudo tem seu fim, não é?E acho que esse pode ser o meu aqui.

Talvez a minha alma, já não corresponda os meus sentimentos.

Talvez, isso seja o menor problema diante de tanto sofrimento.

Talvez, sonhos e contos de fadas, não terão mais finais felizes.

Talvez, tudo isso não seja nada.

Talvez, todo esse barulho seja só o silêncio.

Talvez, meus olhos nunca mais te enxergarão.

Talvez, meus lábios, jamais entoem a doce frase ‘Eu te amo’.

Talvez, meu coração agora só bata em desespero.

Talvez, o daqui a pouco, seja o que já passou.

Talvez, o sol nunca mais brilhe.

Talvez, o toque do seu beijo supere o silêncio e a dor.

Talvez, eu não acredite mais no amor.

Talvez, eu nunca soube o que era amar.

Talvez, um dia, o meu caminho acabe, e eu não saberei por onde voltar.

Talvez, um dia eu seja dona do mar, e lá me afogarei em solidão,

E então só restará eu e meu coração.

Talvez, aqui ninguém me escute.

Talvez, eu nem exista mais.


Autoria: Thais Jardim Oliveira

4 comentários:

bat_trash disse...

Talvez se perceba que não se deva atrelar ou projetar os sentimentos que temos da vida nas mãos de outra pessoa.
A principal pauta de nossas vidas não pode ser conformismo, para quem tem sede de viver muito é muito pouco.

"Tudo é ilusão neste mundo; o amor uma das maiores e mais epidêmicas."
Lord of Erewhon
O amor tem uma conceituação vasta e abstrata. Há filósofos, poetas e até nós, simples seres humanos a tentar torná-lo concreto em palavras, mas ele é arisco, multifacetado, subjetivo. E o amor é confundido com paixão, que é outro conceito abstrato. Sinto que é mais fácil dirigir o amor pra humanidade do que para apenas uma pessoa só. Eu acredito que amor e paixão se confundem. Vejo o amor como uma construção que se dá passo a passo. A paixão é aquela dose de adrenalina enlouquecedora que nos deixa de pena bamba, boca seca, o coração disparado, as mãos suando frio e aquela vontade de encontrar, de estar perto, que é super-gostosa... Dá o maior gás...é combustível que nos mantém vivos, que nos faz suspirar, escrever poemas, uivar pra lua e nos tornar adoráveis patetas.
És dono de teus acontecimentos e tuas palavras anoitecem e madrugam e amanhecem aos nossos olhos.Nosso corpo sim é que é ingrato e tem tempo contado nessa jornada, mas as palavras se perpetuam por séculos, estas sim, são o teu legado. Habitamos sonhos por engano e por acerto, vai se o sonho e o sentimento fica em pensamento e palavra. O amor se transforma em palavras e a palavra se transforme em amor, e o poeta transforma bicicleta em flor...se cansa e a flor novamente vira uma bicicleta. Somos eternos analfabetos no universo semântico alheio. E no espelho nunca nos vemos por inteiro, mas pela metade...esperando eternamente a outra metade no emaranhado intrínseco de profusões que camaleonamente desvanecem, porém não falecem e levantam o vôo da fênix.
Bat Kiss.

André Kaworu disse...

Olá...eita faculdades que tiram todosos blogueiros do ar rs, bem vindo de volta(até a próxima semana de provas) gostei do texto, essa questão do talvez é muito boa e ambigua... eu sou mais o com certeza. abraços boa semana e bons resultados nas provas

Blood Tears disse...

A felicidade nunca é em vão, embora o quotidiano nem sempre se encaixe nas nossas expectativas... E quem somos nós na realidade?

Blood Kisses

Jú Carvalho disse...

faculdade é a maior inimiga dos blogs hahaha . experiência própria =/

Ai ai, isso tocou fundo. Cris.
Ando tão talvez ultimamente.
fiquei pensando...

bom texto
gostei.

Espero q arrume um tempo logo.