quarta-feira, 14 de maio de 2008

A troca


Ela gostava poemas...

Ele escrevia-os para vê-la sorrir.

Ela adorava flores...

Ele plantou um jardim, para que ali,em meio a tantas,florisse tão pura beleza.

Ela amava cinema...

Ele se encantava a vê-la atuar em frente o espelho.

Ela queria dançar...

Ele via em sua dança,estonteante magia ao girar.

Ela desejava o mundo...

O mundo prá ele,era aquele simples momento em que estavam juntos.

Ela pediu tranformação...

Ele se esforçou prá mudar.

Ela disse que era pouco...

Ele fantasiou-se daquilo que ela desejava.

Ele a amava...

Ela o tinha como um capricho.

Ela se cansou do brinquedo...

Ele não notou seu desprezo.

Ela partiu sem dar razão...

Ele deixou de existir.

Ela era tudo que ele tinha...

Ele se descobriu um nada sem ela.

A doce menina floriu como ele sempre desejou...

Ele como já era de se esperar...

Tornou-se frio, pois não é fácil;

Apagar da memória,quem um dia se amou.

E novamente me pergunto;

Que valor tem o amor,se após o pouco tempo que ele dura;
Ele se torna o verdadeiro sinônimo da palavra:DOR.

7 comentários:

biazinha disse...

E esse foi o mal dele, pois passou a viver e sorver a vida dela, esquecendo-se de sua própria vida. Amor não é simbiose, e sim liberdade. As pessoas existem e não coexistem.
Lembrei-me de uma música do Paralamas:
Eu quis dizer, você não quis escutar
Agora não peça, não me faça promessas
Eu não quero dizer, nem quero acreditar
Que vai ser diferente, que tudo mudou
Você diz não saber, o que houve de errado
E o meu erro foi crer, que estar ao seu lado... bastaria
Ah! Meu Deus era tudo que eu queria
Eu dizia o seu nome, não me abandone

Mesmo querendo, eu não vou me enganar
Eu conheço seus passos, eu vejo os seus erros
Não há nada de novo, ainda somos iguais
Então não me chame, não olhe pra trás
Você diz não saber, o que houve de errado
E o meu erro foi crer, que estar ao seu lado... bastaria
Ah! Meu Deus era tudo que eu queria
Eu dizia o seu nome, não me abandone jamais

O que eu gosto nessa música é que a pessoa que foi subjugada acorda pra vida e não aceita mais ser alvo de capricho.
O amor tem que ser algo maior que isso,não tem que haver essa dependência enemesse atrelar a vida uma pessoa a de outra. O amor é livre até para amar.

Bjuxxx.

Novo poema!

biazinha disse...

Não me passou pela cabeça que fosse vc não, mas esse assunto mexe comigo, poruqe uma aluno de minha mãe que conheci se matou pq se anulou tanto que quando a relação dele com a menina acabou a vida dele ficou sem sentido e ele se atirou de um prédio.

bjuxx.

^^

Nada alem do nada... disse...

Queria deixar bem claro.Esta postagem é bem triste prá mim...Escrevi ela pq estava com o espirito meio avariado e me lembrando de um não tão velho amigo que se foi prá sempre.
O texto tambem me lembra uma musica:Você é tão bonita, garota
Por isso que nunca dará certo
Você me tornará um suicida, suicida...(Beautiful girls-Sean Kingston).
Sempre me lembro desse amigo quando ouço essa musica.

kami disse...

Olá!
Estava passando e não pude deixar de comentar o teu poema, primeiro ele esta fantastico e no mais o amor tem dessas coisas, passar mais depressa do que o esperado, acho sinceramente que os caprichos duram mais...
Mais não se pode viver o amor do outro, não se deve mudar mais do que a sua essencia permite, sem perder-se a si mesmo!

Lindo mesmo!
*Bjusss

Liz / Falando de tudo! disse...

O amor quase sempre esta associado a dor, mas a gente jamais se regime, pois somente o amor atraves de suas inumeras formas, nos mostra que estamos vivos!
Bom final de semana!
Liz

kami disse...

Olá!!!!

Passando mais uma vez pra agradecer a visista e o comentário que me deixou...a resposta está lá!

*bjusss

quETzalcoatl disse...

ela não fuma eheheheh


WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM